Estudo inédito verifica a circulação da Covid-19 em crianças

Um estudo inédito em Goiás, que tem objetivo de levantar informações sobre a circulação do coronavírus em crianças e adolescentes com idade de 2 a 18 anos. Com esse propósito, as Secretarias Municipal e Estadual da Saúde, em parceria com a PUC, abriram na manhã desta terça-feira, 6, no estacionamento do Câmpus V (Av. Fued José Sebba, Jardim Goiás) o primeiro inquérito sorológico estadual para identificar a presença de anticorpos da Covid-19 no público mencionado.

 “Estudos têm mostrado que a grande maioria dessa faixa etária, mesmo tendo contato com o vírus, fica assintomática. Este inquérito vai trazer informações sociodemográficas e é extremamente importante termos esse conhecimento para adotarmos medidas de prevenção e controle específicos para essas idades”, explicou a assessora técnica da Superintendência de Vigilância em Saúde de Goiás, Cristina Laval, que está na coordenação da pesquisa.

Período de testagem gratuita

Os testes para esse grupo populacional são gratuitos e realizados sem agendamento das 8h às 19 horas até sexta-feira, 9, e no sábado, 10, das 8h às 12 horas.

Para verificar se a criança tem anticorpos para a doença, é realizado no local o Teste Sorológico Rápido (com coleta de pequena amostra de sangue pelo dedo), com resultado liberado em 20 minutos. Em caso de resultado reagente nesta primeira etapa, a criança será encaminhada para o Teste de Antígeno (com coleta de secreção nasal) e não é necessário aguardar no local.

Após a realização desse segundo exame, a equipe da Secretaria Estadual de Saúde entra em contato com a família por telefone para informar o resultado e  partilhar informações sobre isolamento social e como buscar os serviços de saúde nos casos positivos . Vale ressaltar que essa testagem é direcionada para pessoas que estão assintomáticas.  Crianças com sintomas gripais devem ser levadas pelos pais e responsáveis para as unidades de saúde.

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde do Estado de Goiás, Flúvia Amorim, essa iniciativa é importante para que o Estado tenha mais subsídios para tomar decisões referentes à prevenção e controle da disseminação do coronavírus, principalmente, após o retorno das aulas presenciais nas escolas.

“Temos vários estudos internacionais e vários estados brasileiros já realizaram, mas não temos um inquérito local para entender como funciona a transmissão nas crianças, se elas infectam mais ou menos. A intenção é fazer outras vezes este inquérito para monitorar como está a prevalência da doença nesta população específica”, declarou.

Além de oferecer a infraestrutura, a universidade participa da triagem e coleta. Cerca de  30 professores e 150 estudantes do curso de Enfermagem da PUC Goiás trabalham no atendimento ao público. A acadêmica do 10º período, Nívea Maria, que é voluntária na ação, avalia a relevância da iniciativa para sua carreira. “ É uma grande experiência para nós, alunos, estarmos em contato com tantos profissionais engajados e com essa população que ainda não foi testada. Daqui dois, três meses, estaremos atuando, de fato, como enfermeiros atendendo esse público”, analisou. A meta é realizar mil testes diários, durante os dias mencionados acima. As crianças e adolescentes precisam estar acompanhadas dos pais e responsáveis, portando documentos pessoais e comprovar vínculo escolar.

A jovem Laura Grazielle Dias Martins, uma das primeiras da fila, foi levar o irmão Enzo, de 8 anos, para fazer o teste. Como a sogra testou positivo para doença recentemente, o intuito é verificar se a criança tem anticorpos para a Covid-19. “Por precaução e para preservar o meu pai viemos fazer o teste para tirar isso de cabeça. Sabemos que as crianças podem ser assintomáticas e transmitir a doença”, disse.              

A iniciativa é realizada pela Secretaria Estadual de Saúde, por meio das Superintendências de Vigilância e Saúde e da Escola de Saúde de Goiás, além das Regionais de Saúde Central e Centro-Sul. O trabalho também tem o apoio das Secretarias Municipais de Saúde e de Mobilidade de Goiânia; do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás; da PUC Goiás e do Centro Universitário Alfredo Nasser (Unifan).

open

Site em fase de migração. Para acessar páginas antigas,   clique aqui