MEDICINA - Graduação
Voltar
O Curso

A proposta de criação do Curso de Medicina encontra-se em sintonia com os fundamentos religiosos e político-institucionais dos Cursos de graduação Universidade Católica de Goiás, ao priorizar a excelência dos processos educativos e da formação humanística com bases nas orientações da Igreja Católica.

Mantendo forte vínculo com a comunidade, facilita a extensão e traz consigo a necessidade de pesquisa e ensino simultâneos.

O Curso de Medicina deve se inserir neste contexto, formando um médico comprometido com a comunidade, treinado na rede pública de saúde, encontrando soluções com recursos disponíveis, conhecendo os comportamentos dessa rede e comprometido com a saúde.

A Constituição Federal do Brasil de 1988 garante, em seu artigo 6º, a saúde como um direito social, resultante das condições de vida, de trabalho, de acesso a bens e serviços indispensáveis à saúde, enfim, respaldada na estrutura epidemiológica cujos elementos: “homem” (relação indivíduo/sociedade); “meio ambiente” (relação ecológica); e “agente problematizador”, interagem em processo dinâmico, aberto e multifacetário.

Nos termos do artigo 196 da Constituição, a saúde é considerada um direito de todos e dever do Estado, cabendo ao mesmo prover as condições necessárias ao seu pleno exercício, através da execução de políticas econômicas e sociais que visem garantir a saúde aos cidadãos. A Lei nº 8080, de 19/09/90, estabelece uma política de saúde que visa a promoção, proteção e recuperação da qualidade de vida individual e coletiva em todos os níveis de assistência.

As modificações ocorridas no sistema de saúde brasileiro, desde a 8ª Conferência Nacional de Saúde em 1986, são profundas. Exigem uma urgente atualização institucional, centrada no novo formato do Sistema Único de Saúde (SUS) que tem, como eixos fundamentais, a descentralização, regionalização e hierarquização, com atribuições e responsabilidades compartilhadas entre os três níveis de governo. Esse processo, que já vem ocorrendo na área assistencial e de gestão, precisa agora alcançar as áreas de prevenção e controle de doenças. 

Outro fator importante é a complexidade epidemiológica do nosso país, onde profundas modificações sociais e sanitárias ocorreram nas últimas décadas, transformando, em muitos casos, o padrão de incidência/prevalência das doenças; introduzindo novos problemas de saúde pública, como agravos emergentes; alterando os perfis de morbimortalidade e trazendo a questão das intervenções multissetoriais, a avaliação das políticas de controle dos agravos, da incorporação tecnológica nas áreas de informação, análise, confirmação diagnóstica, intervenção, dentre outras. 

Essa nova realidade que se apresenta, constitui desafios aos modelos teóricos convencionais, suscitando mudanças emergenciais na concepção do complexo ator/substrato. Cabe, às instituições fomentadoras do conhecimento, enquanto espaço privilegiado do saber, o diagnóstico situacional, intervenção, propostas, controle e avaliação desta interação.

Foi em meio a esse processo que a comissão de reformulação curricular chegou ao modelo proposto, baseado em atividades integradoras e conteúdos temáticos, organizados em sistemas e fases evolutivas. Eliminou-se a separação entre o ciclo básico e o profissionalizante. O currículo é centrado no estudante (maior responsabilidade sobre o seu próprio aprendizado), baseado na comunidade a na resolução de problemas como estímulo para o aprendizado.

Evidentemente essa abordagem exigirá uma preparação adequada dos docentes, assim como material didático (equipamentos, livros) e locais para estudo e desenvolvimento das atividades didático - pedagógicas.

A proposta curricular levará a formação de um profissional com posturas diferentes dos atuais cursos e mais adequadas aos desafios da sociedade moderna. O currículo proposto assim como o ensino, deve ser dinâmico, flexível, variável e formativo, ou seja, deve estar num processo continuo de avaliação, discussão e adaptação.

As novas Diretrizes Curriculares dos cursos de graduação em medicina, aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação, são direcionadas no sentido de um currículo flexível, contrapondo-se às grades curriculares fechadas e rígidas. A estrutura curricular mais flexível propicia condições ao aluno de construção de seu próprio conhecimento. Dessa forma o currículo foi organizado de forma integrada, em complexidade crescente e promovendo ao aluno as condições para a inserção o mais precocemente possível com a realidade social e com os serviços de saúde.

Também na distribuição da carga horária ficou reservado tempo livre ao aluno para o seu desenvolvimento intelectual mediante a pesquisa bibliográfica, consultas a bancos de dados, redes de informação, entidades de classe, profissionais da área de saúde e outros. Por fim, o projeto tem como meta capacitar o aluno para observação e desenvolvimento de atividades, a superar a dicotomia entre estudo e trabalho.

Esta proposta criativa, como mescla de um agradável sonho e grandes realizações, é fruto de um conjunto de esforços no sentido de propor uma perspectiva inovadora, coerente com novas dimensões do conhecimento e responder pela missão e objetivos desta Instituição de Ensino Superior, sua mantenedora a Igreja Católica.

A criação do Curso de Medicina na Universidade Católica de Goiás está relacionada ao compromisso com a sociedade goiana, em ações pautadas pela ética, pela história e pela responsabilidade social na construção coletiva do saber, com proposta de inserção na sociedade e da análise crítica dos fatos sociais.

Objetivo geral

O Curso de Medicina da PUC Goiás tem como objetivo geral formar médicos e médicas com ampla base epistemológica, competentes no atendimento e no gerenciamento da saúde individual e/ou coletiva, em sintonia com as políticas de saúde vigentes e capazes de uma visão integrada, ética e humanizada do processo saúde-doença.

Objetivos específicos

1. Promover o ensino, a pesquisa e a extensão, compreender o modelo biopsicossocial na formação médica e contribuir para a defesa da dignidade humana;

2. Implementar o projeto político-pedagógico do curso em concordância com as Diretrizes Curriculares Nacionais, com a missão de produzir e socializar o conhecimento e promover a formação humana integral;

3. Assegurar o cumprimento das macrotendências contempladas no projeto político-pedagógico: formação ético-humanística; educação continuada; interação academia/serviço, oportuna e precoce; e aptidão para gerenciamento e administração em saúde, na compreensão do SUS e das políticas públicas de saúde;

4. Desenvolver conhecimentos técnicos e científicos necessários ao exercício da medicina, nos padrões da metodologia aceita pela comunidade científica, utilizando casos “problema”, com mecanismos de integração interdisciplinar, competência crítica na busca e utilização das informações e o desenvolvimento de habilidades e motivações para uma formação continuada e autônoma;

5. Estabelecer, por meio da inserção oportuna e precoce em atividades de campo, dirigidas e monitoradas, a formação das habilidades necessárias ao exercício da prática médica, nos diferentes níveis de atendimento e no gerenciamento administrativo, tendo como cenários os programas de saúde preventiva e os centros de atendimento em saúde pública;

6. Promover, com dinâmicas problematizadoras de integração ensino/serviço, a formação das competências necessárias para a inserção cidadã no contexto social, a participação responsável na elaboração e na execução das políticas de saúde, a cooperação eficaz em equipes multiprofissionais e o relacionamento interpessoal e ético em todos os níveis da atuação profissional;

7. Assegurar, a partir de constante prática crítico/reflexiva, uma compreensão holística e integrada do ser humano que favoreça o respeito à vida na pluralidade e diversidade dos valores biopsicossociais e culturais, o reconhecimento das dinâmicas comunitárias das vivências humanas e a exigência de uma prática médica responsável e solidária.

Valor das Mensalidades

 MÓDULO  CRÉDITOS  VALOR

 

 I                 44            4.041,91
II                 42            3.858,19
III                45            4.133,78
IV               45            4.133,78
V                43            3.950,05
VI               43            3.950,05
VII              43            3.950,05
VIII             41            3.766,33
IX               49            4.501,22
X                49            4.501,22
XI               51            4.684,95
XII              50            4.593,08
 
Valor de 01 Crédito: 551,17

Copyrights © 2014 Equipe Internet - Todos direitos reservados | Universidade Católica de Goiás - Brasil
Av. Universitária 1.440, Setor Universitário, Goiânia-GO, CEP: 74605-010, Fone/Fax: (62) 3946-1000/3946-1005